Último olhar.

12:25



Dei-te dois beijos e abracei-te. O tempo parou e vieram-me à memória todos os momentos que havíamos passado juntos.
Momentos difíceis, momentos bastante difíceis, mas também momentos de puro êxtase, felicidade e amor.
Recordei tudo o que já tínhamos feitos juntos, as danças, os desenhos, as fotos que tirámos, as gargalhadas que soltámos, os disparates e coisas sem sentido que dissemos.. Quando jogávamos à apanhada e tu nunca me apanhavas e quando não precisávamos de dizer nada um ao outro porque o nosso olhar bastava.
A amizade, o amor que tínhamos um pelo outro.. A nossa cumplicidade.
Minha irmã, minha amiga!, porque tinhas tu de partir? Porque tinhas tu de partir para tão longe?
E soltei uma lágrima. Foi nesse instante que voltei ao presente e me dei de caras com uma realidade cruel e fria.
Porque é que as coisas tinham de ser assim? Porque é que tinhas de ser tu a partir? Tinha a tristeza a apertar-me o coração e infinitas memórias a virem-me à cabeça, e tu.. tu agarraste na tua mala e entraste naquele comboio velho e enferrujado, que partiu em instantes. Fiquei lá a dizer-te adeus, até que o comboio desapareceu no horizonte.
Um pouco de mim tinha-se ido embora naquele comboio. Com o comboio ainda me posso voltar a cruzar, nunca se sabe, mas contigo não.
Partiste para bem longe, mas o mais triste e o que mais magoa no meio disto tudo é que nunca mais nos iremos cruzar. O mais triste disto tudo é que nunca mais te vou abraçar e nunca mais te vou poder chamar de irmã olhos nos olhos.
Era esse o motivo de toda esta minha revolta perante esta situação!
Antes de partires, estivemos a conversar mais de meia hora sobre tudo o que já tínhamos passado juntos. Sorrimos com aquele sorriso de quem está a chorar lá dentro e permanecemos em silêncio durante uns minutos. Estávamos os dois completamente com medo de enfrentar o futuro um sem o outro, estávamos com noção de que era aquele o dia em que tínhamos de deixar tudo dito pois não iríamos ter mais oportunidades. E por isso agradeci-te. Agradeci-te por todos os momentos que me proporcionas-te e pelo teu amor.
Durante o caminho até à estação fomos sempre de mão dada, a chorar. Não precisámos de dizer o significado que tínhamos um para outro, porque isso não se dizia. Sentia-se.
E já dentro do comboio, disseste-me adeus a sorrir. A sorrir porque tudo o que passámos valeu a pena e tudo foi bonito!
"Nunca te vou esquecer!", dissemos um ao outro. E foi o último olhar.

You Might Also Like

20 comentários

  1. Tu tens o poder de transmitir às pessoas os teus sentimentos duma maneira incrível e consegues tocar-me. Parece que sou eu que estou a sentir o que tu sentes ou sentiste! É algo muito bom, quando se consegue o que tu consegues! Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não podes imaginar como é, para mim, ler comentários como estes! Muito obrigado mesmo, isso motiva imenso! Beijinhos!!

      Eliminar
  2. Está completamente lindo *.*

    ResponderEliminar
  3. Está simplesmente fantástico este texto, parabéns e ganhas-te uma nova seguidora*

    ResponderEliminar
  4. Lindo o que tu escreveste .. é como se fosse eu que tivesse sentido mesmo aquilo . lindo mesmo . gostei muito . beijinhos e continua *
    inês gonçalves

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo que eu pretendo, tentar fazer com que os meus leitores sintam (em parte) aquilo que eu senti! Fico muito feliz por saber isso, muito obrigado! São comentários como este que me dão motivação para fazer mais, e melhor, claro!
      Beijinhos :)

      Eliminar
  5. Dizer que gostei é ser repetitiva perante aquilo que outros já o disseram. /.../ mas sei o que é. a música que acompanha o texto - tocada a piano - também me faz identificar com tudo o que escreves. Não que "o" tenha deixado ir num comboio velho, mas porque o deixei ir num avião novo e agora, pior ainda do que já não ver, é ver a dizer adeus como quem pede para ficar. custa, custa sempre, porque no fundo somos pessoas. e melhores amigos raramente se encontram duas vezes na vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato, eu tento sempre escolher uma música que consiga tocar aso meus leitores, tal como o texto.
      Eu percebo a situação, deixar uma grande amizade partir dessa maneira dói imenso cá dentro, deixa saudade e também um pouco de revolta para com a vida. Há amizades que são especiais, genuínas e verdadeiras e essas são absolutamente insubstituíveis!
      Muito obrigado pelo comentário! :)

      Eliminar
  6. Gosto muito da forma como escreves. Quando encontrei o teu blog achei que era só mais um dos tantos blogs, sem interesse, mas podera eu adivinhar que estava profundamente enganado! Escreves com sentimentos. Escreves com o coração, e eu admiro e venero isso. Vou-te seguir a partir de hoje, em ambos os blogs (escrevi neste por ser mais frequentado). Espero que fiques bem. Um abraço!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito contente por saber que achaste o meu blog interessante! Gosto de saber que ao passar os meus sentimentos para aqui, não faço textos chatos, se é que me faço entender..
      Fui ver o teu blog e também gostei bastante! Continua a escrever! Abraço

      Eliminar
  7. estou a seguir-te. e simplesmente AMEI tudo o que escreves! parabéns magnifico blog *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito, muito obrigado! espero que continues a gostar :) beijinho

      Eliminar
  8. Sem dúvida o meu primeiro impulso ao entrar nos blogues é agora entrar no teu, pois sei que me há-de aquecer a alma e o coração. Adoro a simplicidade dos teus textos, são absolutamente lindos..Parabéns,continua (: beijo *

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fico completamente contente por saber que o meu blog te proporciona isso e por saber que gostas! muito, muito obrigado! beijinhos*

      Eliminar